28/02/14 18:38

Arteris anuncia investimento de R$ 1,8 bi para 2014

 São Paulo, 28 de fevereiro – As rodovias administradas pela Arteris receberão neste ano um investimento recorde de R$ 1,8 bilhão. O número foi anunciado pela empresa em seu balanço anual de resultados, que também apresentou o investimento consolidado de 2013: R$ 1,328 bilhão. Deste valor, 94,2% foram investidos nas rodovias federais administradas pela companhia, que receberam R$ 1,251 bilhão em obras no ano passado.  

Para David Díaz, CEO da Arteris, a companhia vive um momento de foco em realização de investimentos. “A Arteris e suas concessionárias estão completamente focadas em realizar obras e intensificar os investimentos nas rodovias que operam. Essa é nossa primeira prioridade: investir”, explica o executivo.  

Há grandes obras em andamento, como é o caso da duplicação da Serra do Cafezal (Rodovia Régis Bittencourt), duplicação da BR-101/RJ e a ampliação da Avenida do Contorno, em Niterói (RJ). Desde 2008, as rodovias federais administradas pela Arteris já realizaram cerca de R$ 4,8 bilhões de investimento. “Entregamos, por exemplo, o Contorno de Betim e 11 quilômetros de duplicação da Serra do Cafezal, entre diversos outros investimentos. Temos, hoje, 387 frentes de obras em nossas rodovias, somando mais de 5.600 trabalhadores em campo. Nosso objetivo é dar cada vez mais qualidade e segurança para os usuários”, complementa Díaz.  

Os resultados apresentados pela companhia mostram que o quarto trimestre de 2013 teve o maior volume de investimentos de 2013. Foram R$ 404 milhões, o que representou um crescimento de 16% em relação ao terceiro trimestre do mesmo ano. A cada trimestre o investimento tem crescido: no primeiro trimestre, por exemplo, havia sido de R$ 266 milhões. 

Prioridades para 2014  

Para 2014, o investimento previsto é ainda maior do que o de 2013. A previsão é de R$ 1,8 bilhão. “As obras que estão em andamento estão em ritmo intenso e, este ano, começaremos uma importante obra - o Contorno de Florianópolis, para a qual estamos aguardando a emissão da licença de instalação”, complementa o CEO. 

 

“Temos, para 2014, três prioridades. A primeira delas, conforme já disse, é investimento. A segunda prioridade é o plano de eficiência e o foco nos custos da companhia e já implantamos ações com excelentes resultados, como são os casos de compras centralizadas, leilões eletrônicos e desenvolvimento de centros compartilhados em áreas como RH, Engenharia, Controladoria e Contabilidade. E nossa terceira prioridade é fortalecer nossa imagem e comunicação. Queremos aproximar a companhia de todos os nossos públicos, como comunidades, imprensa e outros. Queremos apresentar ao Brasil nossos projetos de responsabilidade socioambiental corporativa, incluindo voluntariado, educação, saúde, meio ambiente, cultura e segurança”, explica Díaz.  

Informações adicionais - Principais obras  

 

Serra do Cafezal (Autopista Régis Bittencourt) – Dos 30 quilômetros da Serra, 11 já foram duplicados e estão em operação. As obras acontecem hoje no “miolo” da Serra do Cafezal, trecho que vai do km 344 ao km 363 e são realizadas por etapas. As obras, no momento, acontecem entre o km 344 e o km 349 e entre o km 363 e o km 361,5, nos dois sentidos da rodovia, com serviços de terraplanagem, drenagem profunda (bueiros e galerias), construção de nove pontes/viadutos, pavimentação e revestimentos vegetais de taludes de cortes e aterros (encostas). Cerca de 40 máquinas participam das obras.

 

Além da movimentação de terra, para abertura de caminhos para a nova pista, os operários também trabalham na construção dos viadutos. A previsão de entrega do trecho é agosto de 2014. Entre o km 357 e o km 361,5, as obras estão em fase inicial e contam com três túneis e cinco viadutos, além dos trechos intercalados de terraplenagem. Estas são as obras de maior porte da duplicação da Serra. O trecho deverá ser entregue ao tráfego no segundo semestre de 2015. O projeto de obra da duplicação envolve uma série de obras de arte especiais, estrategicamente calculadas para minimizar o impacto no meio ambiente. Serão 35 pontes e viadutos, que somam sete quilômetros de extensão, e quatro túneis com extensão total de 1,8 quilômetro. Em toda a extensão da Serra, a plataforma já fica preparada com infraestrutura para receber, no futuro, com o crescimento do tráfego, a quarta faixa na subida e a terceira faixa na descida. Túneis e pontes/viadutos já ficam implantados com dimensões definitivas para atender a essa condição. 

Duplicação da BR-101/RJ (Autopista Fluminense) - Duplicação de 176,6 quilômetros da BR-101/RJ, entre Rio Bonito e Campos dos Goytacazes. A concessionária trabalha em dois trechos para os quais já recebeu as licenças ambientais: entre Campos dos Goytacazes (km 84) e Macaé (km 144), e entre Casimiro de Abreu (km 190) e Rio Bonito (km 261). No trecho entre Campos e Macaé, 20 quilômetros de pista duplicada foram entregues em janeiro de 2014 e já estão em operação.  

Mais 15 quilômetros devem ser entregues até o começo de abril. Dois trevos em desnível também estão em construção: um dispositivo de retorno no km 132 (Conceição de Macabu) e um viaduto no km 138,5 (entroncamento da rodovia com a RJ-182, no acesso a Carapebus e Conceição de Macabu). E mais seis novos trevos serão construídos entre a região de Campos e Macaé: no km 92,8, km 101,1, km 113,3, km 122,1, km 125 e km 144,4. Além das obras de duplicação, no trecho entre o km 85 e o km 102, em Campos, o traçado da rodovia será corrigido e receberá melhores condições técnicas. No trecho de Casimiro de Abreu a Rio Bonito, são realizadas limpeza do terreno, supressão vegetal, terraplanagem e instalação dos dispositivos de drenagem entre o km 190 e o km 248.  

Também está em execução o trevo em desnível (viaduto) do km 190, no entroncamento com a RJ-162 (Rodovia Serramar). Outros seis trevos e 11 pontes novas serão construídos, com a geração de cerca de 400 empregos diretos para a comunidade local, prioritariamente. Faz parte desse trecho de obras, a região da Reserva Poço das Antas (entre o km 214 e o km 218). Os programas ambientais contidos na Licença de Instalação do IBAMA (LI) estão em implantação e as intervenções irão ocorrer às margens da pista existente, conforme as orientações da LI. O último trecho da BR-101/RJ a ser duplicado, entre Macaé e Casimiro de Abreu, aguarda a emissão das licenças ambientais e demais autorizações para o início das obras.  

Ampliação da Avenida do Contorno (Autopista Fluminense) - A obra de ampliação da capacidade da Avenida do Contorno, em Niterói, foi iniciada em fevereiro de 2013, após as licenças e liberações necessárias serem emitidas. As pistas da rodovia serão ampliadas e passarão de duas para três faixas de rolamento com acostamento. Cerca de 100 profissionais atuam na obra, com prioridade para a mão de obra regional.  

A conclusão da obra está prevista para fevereiro de 2015. Equipes da concessionária trabalham na finalização do desmonte de rocha e na construção de um elevado com 400 metros de extensão sobre a antiga Estação Ferroviária do Barreto. Os serviços de fundação do viaduto e a concretagem de todos os 24 pilares que darão apoio aos 11 vãos do elevado já foram finalizados. Sessenta e seis vigas, de 70 toneladas cada, irão compor o viaduto. Trinta vigas já foram instaladas e as demais estão sendo montadas e concretadas. O lançamento destas vigas está previsto para o primeiro semestre deste ano e não irá interferir no tráfego da rodovia. Serão utilizados mais de 4,6 mil metros cúbicos de concreto e cerca de 1.500 toneladas de aço na sua construção.

 A obra tem a supervisão de uma equipe tecnicamente qualificada em Meio Ambiente, visando o cumprimento das ações previstas na licença ambiental emitida pelo IBAMA. O material retirado do desmonte de rocha e da remoção do aterro no km 321,1, composto por cerca de 80 mil toneladas, é utilizado na obra. Esse tipo de ação visa o melhor aproveitamento dos recursos naturais existentes, porque reduz a demanda de material rochoso novo e evita a exploração agressiva. O escoamento do material é feito no período noturno, para minimizar o impacto no tráfego da rodovia.  

Contorno de Florianópolis (Autopista Litoral Sul)  

O Contorno de Florianópolis será uma nova rodovia, em pista dupla, com cerca de 50 quilômetros de extensão. Cortará os municípios catarinenses de Governador Celso Ramos, Biguaçu, São José e Palhoça, desviando o tráfego de longa distância da BR-101/SC do tráfego local dos municípios. O Contorno terá seis trevos, 22 passagens em desnível, três viadutos, seis pontes e seis túneis (três em cada sentido).  

Até o dia 12 de março, a concessionária entregará as condicionantes da Licença Prévia (LP) ao IBAMA. Normalmente, o órgão ambiental tem o prazo de 75 dias para emitir da Licença de Instalação (LI), que autoriza o início das obras. Com a LI em mãos, as obras serão iniciadas imediatamente. Aproximadamente dois mil empregos diretos e indiretos, inclusive com mão de obra local, serão gerados em Santa Catarina.