Autopista Régis Bittencourt

O trecho administrado pela Autopista Régis Bittencourt tem 402,6 quilômetros que ligam as cidades de São Paulo (SP) e Curitiba (PR)

Desde 2008, a Autopista Régis Bittencourt é a responsável pelos 402,6 quilômetros da rodovia Régis Bittencourt (BR-116), que liga as cidades de São Paulo (SP) e Curitiba (PR). A concessão para administrar e conservar a Régis Bittencourt por 25 anos foi obtida em leilão realizado em 9 de outubro de 2007. O contrato foi assinado em 14 de fevereiro de 2008 e prevê investimentos de R$ 3,9 bilhões durante sua vigência de 25 anos.

O trecho administrado

A Régis Bittencourt liga São Paulo a Curitiba e corta as seguintes cidades de Taboão da Serra, Embu das Artes, Itapecerica da Serra, São Lourenço, Juquitiba, Miracatu, Juquiá, Registro, Pariquera-açu, Jacupiranga, Cajati e Barra do Turvo, no Estado de São Paulo; e Campina Grande do Sul, Quatro Barras, Antonina, Colombo e Curitiba, no Estado do Paraná. Ela tem 402,6 quilômetros de extensão, sendo 19 em pista simples e 370,3 em pista dupla. A Régis Bittencourt tem um papel importante na rede rodoviária brasileira, pois faz parte do principal corredor rodoviário de interligação dos mais importantes pólos econômicos das regiões Sudeste e Sul do Brasil e destas com os principais países do MERCOSUL.

Em termos de movimentação de cargas e passageiros, os volumes de tráfego são mais altos nas proximidades das grandes cidades, apresentando perto de São Paulo, tráfego médio diário superior a 25 mil veículos. O tráfego atual é composto por um expressivo volume de ônibus e caminhões, que representam cerca de 70% do movimento total da rodovia.

Investimentos e obras

De acordo com o contrato assinado em 14 de fevereiro de 2008, os seis primeiros meses foram dedicados aos chamados trabalhos iniciais, que incluíram melhoria da pavimentação das pistas, sinalização vertical (placas, indicadores, etc.), sinalização horizontal (pintura de faixas de rolamento), iluminação e dispositivos de segurança, entre outros. De acordo com o PER – Programa de Exploração Rodoviária, definido pela ANTT: “Os TRABALHOS INICIAIS compreendem as obras e serviços que a Concessionária deverá executar nos primeiros 6 meses da concessão, antes da autorização, pela ANTT do início da cobrança de pedágio na RODOVIA, com o objetivo de eliminação dos problemas emergenciais que impliquem em riscos pessoais e materiais iminentes, provendo-a dos requisitos mínimos de segurança e conforto aos usuários”. Após os primeiros seis meses de trabalhos iniciais, começou a fase de obras e implantações previstas no contrato. Veja abaixo as obras realizadas e em execução:

Duplicação de 30,5 km de pista na Serra do Cafezal. Onze quilômetros já duplicados.

Implantação de 50 novas passarelas. Quarenta e nove já implantadas e uma em finalização.

Mais de 160 pontes e viadutos receberam melhorias.

Construção do Contorno Norte de Curitiba, em pista dupla, com 11,6 quilômetros km de extensão.

Vias marginais em Registro (SP), entre o km 446,4 e o km 449,9. Obra concluída.

804 quilômetros de pavimento recuperado.

Recuperação de sinalização horizontal - 100% realizado no trecho concedido.

Sinalização vertical – mais de 13 mil unidades de placas.

Barreiras de concreto – 150 quilômetros implantados.

Melhoria de acessos – 39 obras concluídas.

Construção de 4 trevos em desnível com alças concluídos: km 308 e km 300,3 (São Lourenço da Serra),  km 336,5 (Distrito Barnabés), km 340 (Juquitiba)  e mais seis obras de trevos de acesso e retorno em implantação.

Implantação de passagem em desnível inferior – km 369,6 (Miracatu) – concluído.

Reforma de 8 postos da Polícia Rodoviária Federal – concluído.

Reforma de 2 postos de pesagem com balança fixa – concluído.

Construção de 5 quilômetros de ruas laterais em Jacupiranga – em andamento.

Construção de 3,6 quilômetros de ruas laterais em Cajati – em andamento.

Operação da Rodovia

Desde 15 de agosto de 2008, os usuários que passam diariamente pela rodovia Régis Bittencourt têm a disposição os serviços de atendimento ao usuário: socorro médico, atendimento a veículos com problemas mecânicos, resgate de animais na pista, veículos para combate a incêndio, inspeção de tráfego constante e telefone 0800 para solicitar atendimento: tudo operando 24 horas.

É uma frota de 14 ambulâncias, 17 guinchos (3 destes com gaiolas para apreensão de animais), três pipa-guinchos (caminhão com tanque reservatório de água para o combate a incêndio e equipamento de guincho), nove viaturas para inspeção de tráfego e duas motocicletas. A operação também conta com apoio de um caminhão multiuso e três mini-pás-carregadeiras para limpeza da pista. 

Para solicitar atendimento, tirar dúvidas sobre a concessão da rodovia ou fazer reclamações e sugestões para a concessionária, os usuários da Régis Bittencourt podem ligar para 0800 7090 116. O telefone gratuito 0800 717 1000 está disponível para o atendimento aos usuários com deficiência auditiva e da fala.

Praças de pedágio

Em São Paulo:

São Lourenço da Serra – km 299

Miracatu – km 370

Juquiá – km 426

Cajati – km 485

Barra do Turvo – km 542

No Paraná:

Campina Grande do Sul – km 57

Bases Operacionais

Em São Paulo:

Km 287 – Itapecerica da Serra – sentido Curitiba

Km 299 – São Lourenço da Serra – sentido Curitiba

Km 343 – Miracatu – sentido São Paulo

Km 370 – Miracatu – sentido São Paulo

Km 426 – Juquiá – sentido Curitiba

Km 485 – Cajati – sentido São Paulo

Km 542 – Barra do Turvo – sentido Curitiba

No Paraná:

Km 32 – Campina Grande do Sul – sentido São Paulo

Km 57 – Campina Grande do Sul – sentido Curitiba

Km 70 – Quatro Barras – sentido Curitiba

ISS para os municípios lindeiros

Todos os municípios cortados pelos 402,6 quilômetros da Régis Bittencourt têm direito a receber o repasse do ISS e, com ele, terão suas receitas ampliadas, podendo reverter em investimentos em áreas sociais e de infra-estrutura. No período dos 25 anos de concessão, a previsão da concessionária é repassar cerca de R$ 324 milhões às prefeituras (valor calculado com base na moeda de 2010). Ele é recolhido mensalmente a partir da soma de toda a arrecadação do pedágio e das obras realizadas na BR-116 de São Paulo a Curitiba. O valor é calculado sobre a alíquota de até 5% (variável de 2 a 5% nos municípios) sobre a receita de arrecadação das seis praças de pedágios ao longo da rodovia, proporcional a testada (extensão) do município na rodovia. As prefeituras utilizam os recursos como julgarem mais conveniente, pois o imposto não precisa de contraprestação.

Outras informações e sobre 1ª e 2ª emissão de notas promissórias

 

Declaração de Política da Qualidade e de Meio Ambiente

A Autopista Régis Bittencourt considera o compromisso com a QUALIDADE e com a proteção do MEIO AMBIENTE como princípios fundamentais em todas as suas atividades.

Este compromisso se materializa permanentemente ao alcançar seus objetivos prioritários:

Satisfação dos clientes: identificando e cumprindo com os requisitos, no que se refere aos requerimentos técnicos, preço e prazo, dentro do contrato estabelecido;

Satisfação da equipe humana: fomentando a motivação, a formação e o desenvolvimento pessoal;

Satisfação da sociedade: minimizando o impacto ambiental e prevenindo a contaminação do Meio Ambiente;

Rentabilidade da Empresa e criação de valor para o acionista: minimizando os custos da não-qualidade, evitando atividades defeituosas, processos desnecessários e excessos na realização dos serviços.

Estes princípios moldam a base a partir da qual a Autopista Régis Bittencourt estabelece e revisa as metas para conseguir uma melhoria contínua e se mune de ferramentas necessárias para seu cumprimento no quadro da legislação vigente, que se materializam através desta POLÍTICA DE QUALIDADE E MEIO AMBIENTE com a qual a Direção está explicitamente comprometida impulsionando firmemente o seu desenvolvimento.

O cumprimento desta POLÍTICA é exigível a todo o pessoal da Autopista Régis Bittencourt, que deve conhecê-la e aplicá-la no âmbito de sua atuação profissional.

A Direção

Autopista Régis Bittencourt 

 

Arteris S.A. integra o Grupo Abertis, líder mundial na gestão de rodovias e um dos primeiros operadores globais de infraestruturas de telecomunicações. Atualmente, Abertis está presente em 11 países da Europa e da América.

Abertis concentra sua estratégia no crescimento seletivo e foca em negócios nos quais pode aportar maior serviço à sociedade e um maior valor ao acionista.

Abertis tem suas ações listadas na Bolsa espanhola e faz parte do seletivo Ibex 35, assim como dos índices internacionais FTS Eurofirst 300, Standar & Poor´s Europe 350 e Dow Jones Sustainability.

Rodovias

Abertis é líder mundial no setor de operação de rodovias. Administra diretamente mais de 7.300 quilômetros de vías de alta capacidade em todo o mundo. É o primiero operador em países como Chile e Espanha e um dos principais na Europa e América Latina, com destaque para sua presença no  Brasil por meio da Arteris, França e Porto Rico. Além disso, Abertis participa da administração de concessões no Reino Unido, Argentina e Colômbia. No setor de tecnologia de pedágio, conta com contratos nos Estados Unidos, Irlanda e Canadá.

Infraestruturas de Telecomunicações

Abertis tem posição chave no segmento de infraestruturas e serviços de telecomunicações na  Espanha, assim como a de operadora de referencia internacional no setor de transmissão via satélite. A companhia conta com 57,05% do capital da operadora Hispasat.

Números Relevantes (2013)

O lucro líquido da Abertis em 2013 foi de 617 milhões de euros. Os ingressos de receitas de operação das rodovias cresceram 4.654 milhões de euros, enquanto o resultado bruto (EBITDA) foi de 2.923 milhões de euros. A dívida líquida diminuiu 7% e encerrou o ano em 13.155 milhões de euros.

www.abertis.com